Thaísa Helena
     "Era uma tarde agradável quando quatro amigos entraram em uma grande instituição e souberam que seriam beneficiados. Havia um prêmio reservado para cada um deles. A alegria tomou conta e, muito entusiasmados, perguntaram a recepcionista como poderiam retirar o prêmio. A mesma informou que estaria disponível no 9º andar do prédio e precisariam ir pelas escadas. E, lá se foram os amigos buscá-lo.
     Passaram pelo 1º andar bem tranquilos, igualmente no 2º, mas no 3°, perceberam que a estrutura do prédio estava um pouco menor, as paredes estavam mais estreitas e o teto mais baixo mas continuaram subindo. De repente perceberam que do 3° para o 4° andar não havia saída no fim da escada. Então, Helena empurrou a escada, que neste trecho era de madeira, e ela foi desmembrada formando assim uma nova passagem. Do 4° para o 5° andar, os amigos precisaram passar abaixados, quase rastejando, mas conseguiram chegar ao próximo andar. 
      Já cansados, chegaram ao 6º andar e, neste momento, o pavor tomou conta deles. Havia um espaço tão estreito e alto para atravessarem que, em alguns momentos, pensaram que cairiam lá embaixo e morreriam. Foram momentos de muito medo e dúvidas. A incerteza do que vinha pela frente e o medo do que estavam vendo lá embaixo, os paralisaram por um tempo, mas uma decisão precisava ser tomada. De repente, Helena, que seguia na frente, prosseguiu pelo caminho estreito. Devagar, mas sempre adiante, olhando para frente e não mais para baixo. As outras etapas de andares também ficaram bem difíceis,  mas eles conseguiram passar por elas.
        Quando chegaram ao andar do prêmio,  Helena olhou bem atenta para uma enorme sala cheia de coisas exóticas mas não havia ninguém. chamou por um tempo, mas não via ninguém.  De repente, depara-se com a recepcionista. Então ela pergunta:  – "Onde está o meu prêmio? Você disse que estaria aqui neste andar, porém não o encontro. Subi 9 andares super difíceis para buscar meu prêmio e ele não está aqui????"

     Sorrindo, a jovem diz:  – "Seu prêmio é você estar aqui. Cada andar que você passou a preparou para estar aqui. Você não enfrentou essas dificuldades como falta de força,  fé,  medo da altura e do futuro, prensa, escada sem saída e demais obstáculos à toa. Tudo o que você enfrentou e venceu a trouxe até aqui..."




     E então,  eu acordei e fiquei relembrando cada coisa. Deus fala conosco de inúmeras formas. Gosto muito quando em sonho. Neste, eu realmente senti as emoções de cada fase enfrentada. Parecia tão real que acordei cansada. Porém, tive a compreensão de que a vida cristã é como essas escadas. No começo, é tudo simples, são os primeiros andares. Depois enfrentamos um aperto aqui, outro ali .      Mas, quando o deserto chega e nos encontramos perdidos sem o controle das coisas, precisamos olhar pra frente e confiar naquilo que Ele nos falou nos primeiros andares. Não é fácil e, por vezes, achamos que não aguentaremos. Mas, "confiando em nosso Deus e em seu eterno amor, não seremos abalados". (Nivea Soares). 
    A sala do prêmio me fez lembrar de um versículo: "Combati o bom combate, completei a carreira e guardei a fé." (2 Timóteo 4:7). Nunca, nunquinha podemos perder a nossa fé.  É ela que nos faz ir além do caminho árduo e estreito que parece nos levar à morte. É ela que fortalece nosso homem interior dia a dia. É ela que nos leva ao Pai. E, quando chegarmos diante dele no Grande Dia, lembraremos de nossas escadas e nos alegraremos com ele por estarmos ali. Ele é o nosso prêmio e o que Ele faz dentro de nós é o que realmente importa. 
Marcadores: , , 1 comentários | | edit post
Reações: 
Thaísa Helena
     Na manhã de hoje, resolvi ler um livro que estava comigo há um tempo: Reduza-me ao amor, da querida Joyce Meyer. Geralmente, esse tipo de leitura traz muitas referências bíblicas e, geralmente, eu passo direto feito foguete pois quero continuar lendo o livro e não a bíblia....rs (que
vergonha... kkkkk). Mas hoje aconteceu diferente, senti um forte desejo de abrir as referências e a cada uma que eu abria, Deus me levava à outras que não estavam descritas no livro e foi assim que fiz uma grande descoberta sobre viver em amor.
     Percebi como a Palavra de Deus é extremamente coerente e rica em detalhes que se conectam. Ela testifica a si mesma através de diversos textos. Eu amooooo quando isso acontece, pois eu sempre fico com aquela cara de: "uaaauuu! Descobri a roda!", Deus deve achar mó graça lá de cima, mas na real, deve ficar feliz quando permito que Ele se revele a mim através da Sua doce Palavra. Bom, vou parar de falar e compartilhar aqui embaixo o que aprendi sobre Painho e seu amor nesta manhã.

Preparados??? Lá vai...

     Bom, comecei a ler o livro hoje e ao final da primeira página do primeiro capítulo, deparo-me com esta frase: “Deus é amor; então, quando andamos em seu amor, permanecemos nele.”
Daí me veio a seguinte pergunta: “Como permanecemos em Deus?”
Lembrei do livro de João, no capítulo 15, que fala sobre permanecermos em Cristo e corri pra lá. E tanto no versículo 3 quanto no 7 fala sobre o efeito da palavra de Deus em nós. E assim, entendi que permaneço em Deus através da Sua Palavra.

     Depois, no livro encontrei outra referência que também falava sobre os mandamentos de Deus. Em 1 João 3:24 podemos ver que se guardamos os mandamentos de Deus, permanecemos nele. E seu Espírito testifica que Deus permanece em nós.
A partir dessa descoberta, as coisas começaram a se encaixar e fazer certo sentido para mim.

     No texto de João 15, percebemos que a Palavra de Deus nos limpa (v.3), afim de produzirmos frutos e assim sermos conhecidos como seus discípulos. Lembrei também que o fruto do Espírito é o AMOR. (Nessa hora eu já pensei: Meu Deus! Quão maravilhosa é sua Palavra).
Ele continua nos dizendo que sem Ele não podemos fazer nada. É a permanência nele que nos faz crescer e frutificar.

     Entendo que se guardo os mandamentos do Senhor, sou aperfeiçoado através de Sua Palavra e podado para produzir frutos. A Palavra tem o poder de atuar de forma transformadora em meu interior para que eu ande em amor. Dessa forma, a minha fé é estimulada a entrar em ação, pois como em Gálatas 5:6 diz: “...a fé atua pelo amor”.



     E, voltando em 1 João 3:18-24, esse trecho fala que quando andamos em amor, somos fortalecidos e temos uma boa consciência, pois é testificado que estamos andando em obediência à Palavra de Deus, seus mandamentos e não somos condenados pelas nossas ações. Assim, estamos alinhando nosso espírito ao dEle. Com nosso interior conectado ao dele, podemos pedir qualquer coisa em Seu nome, que ele assim o fará. Alinhados com Ele em amor, exercemos nossa fé.  Vemos isso também em João 15, onde Cristo diz que se permanecermos nele e as suas palavras permanecerem em nós, poderemos pedir qualquer coisa em seu nome e nos será feito (v.7).
Podemos pedir qualquer coisa??? Logicamente que, se estou alinhada, enxertada, imersa nele, saberei o que pedir em Seu nome e, segundo a Sua vontade, Ele fará.

Muita informação né? rs


     Resumindo: se guardamos os mandamentos do Senhor, ou seja, sua Palavra, tendo o cuidado de obedecê-la, seremos limpos e transformados por ela. Com isso, permaneceremos em Deus e Deus é amor, logo, andaremos também em amor, pois seremos semelhantes a Ele. Estando limpos e andando em amor, podemos pedir qualquer coisa ao Pai e ele nos concederá, pois, o Amor ativa nossa fé (a fé atua pelo amor – Gálatas 5:6).  E assim, daremos muitos frutos e seremos conhecidos como seus discípulos.
Isso é fantástico!!!

     Acabei de escrever e pensei naquele versículo em que Jesus diz aos discípulos: “Errais por não conhecerem as Escrituras e nem o poder de Deus. (Mateus 22:29).  Temos falhado em nossas ações simplesmente por não conhecermos a Palavra e o poder de Deus, achamos que o conhecemos, mas na verdade estamos na superfície ainda. Desejo que a cada dia possamos nos permitir aprender mais de Deus e de sua Palavra para deixarmos que ela nos transforme e possamos viver em amor. 

Na paz de Painho.


Marcadores: 0 comentários | | edit post
Reações: 
Thaísa Helena
Ontem, voltando do lanche pós culto, passei com meu noivo Felipe numa rua onde havia uma casa que, há anos (quase minha vida inteira) eu vi só no reboco, descascada, sem vida. Era uma casa grande e eu sempre pensava: "Puxa vida por quê os donos não pintam essas paredes? Essa casa tem um potencial incrível e só vive feia, apagada". E foi assim por anos a fio.
                        

Quando passei ontem, a rua estava escura, as luzes dos postes estavam apagadas e, de repente, olhei para minha esquerda lá estava ela, a casa grande e "feia", mas dessa vez com luzes que iluminavam não só a casa, mas também a rua. Suas paredes todas em pedras, as madeiras envernizadas e uma bela pintura nas paredes laterais. Eu só pude fazer o Felipe parar e ficamos de frente para ela admirando tamanha beleza. Ele até falou: " Nossa, essa é a casa mais bonita da rua". Então, eu contei para ele como ela foi durante anos e o que eu pensava a respeito dela.   
                
Foi aí que Painho falou comigo e percebi que nem sempre o que vemos por fora é o que realmente é.  Talvez os donos daquela casa tivessem investindo no interior dela primeiro para depois fazer o acabamento. Isso leva tempo...


E pensei em nós,  meros mortais. ... Deus trabalha no nosso interior. Isso requer muito cuidado e atenção.  Talvez as nossas paredes externas estejam só no reboco e, aos olhos dos outros, isso pareça feio já que aparentamos ser uma casa grande e com muito potencial. Mas, o segredo está no interior, onde ninguém vê. Nós somos essa casa que Deus quer cuidar, mas ele vai começar de dentro para fora. E quando ele perceber que estamos melhores, vai nos dar um acabamento tão incrível e lindo que nossa luz vai iluminar também à nossa volta assim como a casinha "feia" da rua. 

"...O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração". 1 Samuel 16:7b


na paz de Painho.

Imagem Fonte: Google imagens.
Marcadores: 0 comentários | | edit post
Reações: