Thaísa Helena
     Na manhã de hoje, resolvi ler um livro que estava comigo há um tempo: Reduza-me ao amor, da querida Joyce Meyer. Geralmente, esse tipo de leitura traz muitas referências bíblicas e, geralmente, eu passo direto feito foguete pois quero continuar lendo o livro e não a bíblia....rs (que
vergonha... kkkkk). Mas hoje aconteceu diferente, senti um forte desejo de abrir as referências e a cada uma que eu abria, Deus me levava à outras que não estavam descritas no livro e foi assim que fiz uma grande descoberta sobre viver em amor.
     Percebi como a Palavra de Deus é extremamente coerente e rica em detalhes que se conectam. Ela testifica a si mesma através de diversos textos. Eu amooooo quando isso acontece, pois eu sempre fico com aquela cara de: "uaaauuu! Descobri a roda!", Deus deve achar mó graça lá de cima, mas na real, deve ficar feliz quando permito que Ele se revele a mim através da Sua doce Palavra. Bom, vou parar de falar e compartilhar aqui embaixo o que aprendi sobre Painho e seu amor nesta manhã.

Preparados??? Lá vai...

     Bom, comecei a ler o livro hoje e ao final da primeira página do primeiro capítulo, deparo-me com esta frase: “Deus é amor; então, quando andamos em seu amor, permanecemos nele.”
Daí me veio a seguinte pergunta: “Como permanecemos em Deus?”
Lembrei do livro de João, no capítulo 15, que fala sobre permanecermos em Cristo e corri pra lá. E tanto no versículo 3 quanto no 7 fala sobre o efeito da palavra de Deus em nós. E assim, entendi que permaneço em Deus através da Sua Palavra.

     Depois, no livro encontrei outra referência que também falava sobre os mandamentos de Deus. Em 1 João 3:24 podemos ver que se guardamos os mandamentos de Deus, permanecemos nele. E seu Espírito testifica que Deus permanece em nós.
A partir dessa descoberta, as coisas começaram a se encaixar e fazer certo sentido para mim.

     No texto de João 15, percebemos que a Palavra de Deus nos limpa (v.3), afim de produzirmos frutos e assim sermos conhecidos como seus discípulos. Lembrei também que o fruto do Espírito é o AMOR. (Nessa hora eu já pensei: Meu Deus! Quão maravilhosa é sua Palavra).
Ele continua nos dizendo que sem Ele não podemos fazer nada. É a permanência nele que nos faz crescer e frutificar.

     Entendo que se guardo os mandamentos do Senhor, sou aperfeiçoado através de Sua Palavra e podado para produzir frutos. A Palavra tem o poder de atuar de forma transformadora em meu interior para que eu ande em amor. Dessa forma, a minha fé é estimulada a entrar em ação, pois como em Gálatas 5:6 diz: “...a fé atua pelo amor”.



     E, voltando em 1 João 3:18-24, esse trecho fala que quando andamos em amor, somos fortalecidos e temos uma boa consciência, pois é testificado que estamos andando em obediência à Palavra de Deus, seus mandamentos e não somos condenados pelas nossas ações. Assim, estamos alinhando nosso espírito ao dEle. Com nosso interior conectado ao dele, podemos pedir qualquer coisa em Seu nome, que ele assim o fará. Alinhados com Ele em amor, exercemos nossa fé.  Vemos isso também em João 15, onde Cristo diz que se permanecermos nele e as suas palavras permanecerem em nós, poderemos pedir qualquer coisa em seu nome e nos será feito (v.7).
Podemos pedir qualquer coisa??? Logicamente que, se estou alinhada, enxertada, imersa nele, saberei o que pedir em Seu nome e, segundo a Sua vontade, Ele fará.

Muita informação né? rs


     Resumindo: se guardamos os mandamentos do Senhor, ou seja, sua Palavra, tendo o cuidado de obedecê-la, seremos limpos e transformados por ela. Com isso, permaneceremos em Deus e Deus é amor, logo, andaremos também em amor, pois seremos semelhantes a Ele. Estando limpos e andando em amor, podemos pedir qualquer coisa ao Pai e ele nos concederá, pois, o Amor ativa nossa fé (a fé atua pelo amor – Gálatas 5:6).  E assim, daremos muitos frutos e seremos conhecidos como seus discípulos.
Isso é fantástico!!!

     Acabei de escrever e pensei naquele versículo em que Jesus diz aos discípulos: “Errais por não conhecerem as Escrituras e nem o poder de Deus. (Mateus 22:29).  Temos falhado em nossas ações simplesmente por não conhecermos a Palavra e o poder de Deus, achamos que o conhecemos, mas na verdade estamos na superfície ainda. Desejo que a cada dia possamos nos permitir aprender mais de Deus e de sua Palavra para deixarmos que ela nos transforme e possamos viver em amor. 

Na paz de Painho.


Marcadores: 0 comentários | | edit post
Reações: 
Thaísa Helena
Ontem, voltando do lanche pós culto, passei com meu noivo Felipe numa rua onde havia uma casa que, há anos (quase minha vida inteira) eu vi só no reboco, descascada, sem vida. Era uma casa grande e eu sempre pensava: "Puxa vida por quê os donos não pintam essas paredes? Essa casa tem um potencial incrível e só vive feia, apagada". E foi assim por anos a fio.
                        

Quando passei ontem, a rua estava escura, as luzes dos postes estavam apagadas e, de repente, olhei para minha esquerda lá estava ela, a casa grande e "feia", mas dessa vez com luzes que iluminavam não só a casa, mas também a rua. Suas paredes todas em pedras, as madeiras envernizadas e uma bela pintura nas paredes laterais. Eu só pude fazer o Felipe parar e ficamos de frente para ela admirando tamanha beleza. Ele até falou: " Nossa, essa é a casa mais bonita da rua". Então, eu contei para ele como ela foi durante anos e o que eu pensava a respeito dela.   
                
Foi aí que Painho falou comigo e percebi que nem sempre o que vemos por fora é o que realmente é.  Talvez os donos daquela casa tivessem investindo no interior dela primeiro para depois fazer o acabamento. Isso leva tempo...


E pensei em nós,  meros mortais. ... Deus trabalha no nosso interior. Isso requer muito cuidado e atenção.  Talvez as nossas paredes externas estejam só no reboco e, aos olhos dos outros, isso pareça feio já que aparentamos ser uma casa grande e com muito potencial. Mas, o segredo está no interior, onde ninguém vê. Nós somos essa casa que Deus quer cuidar, mas ele vai começar de dentro para fora. E quando ele perceber que estamos melhores, vai nos dar um acabamento tão incrível e lindo que nossa luz vai iluminar também à nossa volta assim como a casinha "feia" da rua. 

"...O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração". 1 Samuel 16:7b


na paz de Painho.

Imagem Fonte: Google imagens.
Marcadores: 0 comentários | | edit post
Reações: 
Thaísa Helena

     Aquele momento em que você pega o trem e começa a refletir em algumas coisas curiosas que acontecem aleatoriamente em seus dias e você começa a achar que há alguma conexão divina entre elas. Confuso? Então continue lendo o que Painho me ajudou a entender nesta semana.

     Não fazemos aquilo que o Senhor deseja porque temos caminhado pelas nossas próprias forças. A bíblia é recheada de citações onde nos mostra que grandes homens e até Jesus, faziam o que faziam na força do Espírito Santo.
     Não temos tido tempo para Deus e o Espírito Santo, mesmo estando presente em quase todos os cultos e envolvidos em inúmeros eventos góspeis. Nossos ouvidos, mentes e corações estão fechados ou parcialmente abertos para ouvir a voz de Deus.
     Nos perdemos em nosso mundo e ouvimos inúmeras vozes distraidoras. Vozes que nos confundem, enganam e nos levam para cada vez mais longe da comunhão, da intimidade com nosso Pai. Vozes de coisas até boas, mas que nos roubam a preciosidade que é estar aos pés do ÚNICO que deveria ter toda nossa atenção.

     A tendência dos nossos dias é estarmos cada vez mais atarefados dentro e fora da Igreja, que nosso relacionamento com Deus entrará em extinção. Os sinais estão aí, temos a informação a um clique, obtemos coisas de modo acelerado e prático. Mas estar com Deus requer consciência, racionalidade, tempo, espera, dedicação, paciência, renúncia, confissão, transparência, nudez da alma, reconhecimento de erros, clamor por perdão, saber ouvir a VOZ certa, solitude, fé, disposição e, quem quer “perder” tempo com isso em pleno século XXI? Certa vez, uma grande amiga me disse que estar com Deus todo o tempo, diariamente, é uma questão de vida ou morte. Eu concordo com ela, pois todas as vezes em que me encontro perdida e confusa, me sentindo estranha e desanimada, percebo que meu tempo com meu Pai está debilitado, negligenciado por coisas e momentos aparentemente mais urgentes ou “mais interessantes”.

    
     Nem sempre temos vontade de orar, muitas vezes por não conhecermos outras formas senão o padrão: “Senhor meu Deus e meu Pai abençoe isso isso e aquilo, me dê isso isso e aquilo outro...”. A verdade é que orar é falar com Deus, podemos fazer isso! Ele nos ensinou em sua Palavra não apenas o “Pai Nosso”, mas inúmeras formas de fazê-la. Basta sermos nós mesmos.

     Que possamos nos voltar ao trono da graça e, de fato, rasgar nosso coração aos pés do nosso Senhor, sem reservas, medo, vergonha, distrações, apenas ficar ali com Ele, ouvindo sua VOZ e organizando nossa bagunça interior para que assim, estejamos em intimidade com Ele e possamos realizar as tais obras maiores que Ele nos prometeu que realizaríamos. (João 14:12).

Na paz de Jah.
0 comentários | | edit post
Reações: