Thaísa Costa
Ontem, voltando do lanche pós culto, passei com meu noivo Felipe numa rua onde havia uma casa que, há anos (quase minha vida inteira) eu vi só no reboco, descascada, sem vida. Era uma casa grande e eu sempre pensava: "Puxa vida por quê os donos não pintam essas paredes? Essa casa tem um potencial incrível e só vive feia, apagada". E foi assim por anos a fio.
                        

Quando passei ontem, a rua estava escura, as luzes dos postes estavam apagadas e, de repente, olhei para minha esquerda lá estava ela, a casa grande e "feia", mas dessa vez com luzes que iluminavam não só a casa, mas também a rua. Suas paredes todas em pedras, as madeiras envernizadas e uma bela pintura nas paredes laterais. Eu só pude fazer o Felipe parar e ficamos de frente para ela admirando tamanha beleza. Ele até falou: " Nossa, essa é a casa mais bonita da rua". Então, eu contei para ele como ela foi durante anos e o que eu pensava a respeito dela.   
                
Foi aí que Painho falou comigo e percebi que nem sempre o que vemos por fora é o que realmente é.  Talvez os donos daquela casa tivessem investindo no interior dela primeiro para depois fazer o acabamento. Isso leva tempo...


E pensei em nós,  meros mortais. ... Deus trabalha no nosso interior. Isso requer muito cuidado e atenção.  Talvez as nossas paredes externas estejam só no reboco e, aos olhos dos outros, isso pareça feio já que aparentamos ser uma casa grande e com muito potencial. Mas, o segredo está no interior, onde ninguém vê. Nós somos essa casa que Deus quer cuidar, mas ele vai começar de dentro para fora. E quando ele perceber que estamos melhores, vai nos dar um acabamento tão incrível e lindo que nossa luz vai iluminar também à nossa volta assim como a casinha "feia" da rua. 

"...O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração". 1 Samuel 16:7b


na paz de Painho.

Imagem Fonte: Google imagens.
Marcadores: 0 comentários | | edit post
Reações: 
Thaísa Costa

     Aquele momento em que você pega o trem e começa a refletir em algumas coisas curiosas que acontecem aleatoriamente em seus dias e você começa a achar que há alguma conexão divina entre elas. Confuso? Então continue lendo o que Painho me ajudou a entender nesta semana.

     Não fazemos aquilo que o Senhor deseja porque temos caminhado pelas nossas próprias forças. A bíblia é recheada de citações onde nos mostra que grandes homens e até Jesus, faziam o que faziam na força do Espírito Santo.
     Não temos tido tempo para Deus e o Espírito Santo, mesmo estando presente em quase todos os cultos e envolvidos em inúmeros eventos góspeis. Nossos ouvidos, mentes e corações estão fechados ou parcialmente abertos para ouvir a voz de Deus.
     Nos perdemos em nosso mundo e ouvimos inúmeras vozes distraidoras. Vozes que nos confundem, enganam e nos levam para cada vez mais longe da comunhão, da intimidade com nosso Pai. Vozes de coisas até boas, mas que nos roubam a preciosidade que é estar aos pés do ÚNICO que deveria ter toda nossa atenção.

     A tendência dos nossos dias é estarmos cada vez mais atarefados dentro e fora da Igreja, que nosso relacionamento com Deus entrará em extinção. Os sinais estão aí, temos a informação a um clique, obtemos coisas de modo acelerado e prático. Mas estar com Deus requer consciência, racionalidade, tempo, espera, dedicação, paciência, renúncia, confissão, transparência, nudez da alma, reconhecimento de erros, clamor por perdão, saber ouvir a VOZ certa, solitude, fé, disposição e, quem quer “perder” tempo com isso em pleno século XXI? Certa vez, uma grande amiga me disse que estar com Deus todo o tempo, diariamente, é uma questão de vida ou morte. Eu concordo com ela, pois todas as vezes em que me encontro perdida e confusa, me sentindo estranha e desanimada, percebo que meu tempo com meu Pai está debilitado, negligenciado por coisas e momentos aparentemente mais urgentes ou “mais interessantes”.

    
     Nem sempre temos vontade de orar, muitas vezes por não conhecermos outras formas senão o padrão: “Senhor meu Deus e meu Pai abençoe isso isso e aquilo, me dê isso isso e aquilo outro...”. A verdade é que orar é falar com Deus, podemos fazer isso! Ele nos ensinou em sua Palavra não apenas o “Pai Nosso”, mas inúmeras formas de fazê-la. Basta sermos nós mesmos.

     Que possamos nos voltar ao trono da graça e, de fato, rasgar nosso coração aos pés do nosso Senhor, sem reservas, medo, vergonha, distrações, apenas ficar ali com Ele, ouvindo sua VOZ e organizando nossa bagunça interior para que assim, estejamos em intimidade com Ele e possamos realizar as tais obras maiores que Ele nos prometeu que realizaríamos. (João 14:12).

Na paz de Jah.
0 comentários | | edit post
Reações: 
Thaísa Costa
     Esta manhã levantei cedo e tomei café com o Senhor. Conversamos um pouco e, quando dei por mim, estava deitada na varanda do meu quintal olhando pro céu e refletindo sobre os versículos que acabara de ler.

     O céu estava lindo, o sol aparecendo aos poucos e uma brisa suave batendo em meu rosto. Continuamos nossa conversa quando, de repente, o céu encheu de nuvens, o sol sumiu, restando apenas a brisa suave. Ao ver isto pensei: "É, nublou. Vou me levantar".
No mesmo instante o Senhor falou comigo: "Você só vai se levantar porque nublou? Por que vocês sempre fazem isso? Quando está tudo limpo vocês permanecem, contemplam, mas basta um pouco de nuvem ofuscando o céu azul pra vocês se retirarem. Eu sou Deus e falo também através das nuvens"!



     O que dizer depois duma coisa dessas??? o.O
Fiquei ali sem ação e refletindo. Nossa vida tem dessas coisas mesmo. Quando está tudo bem, fluindo em seu curso perfeito, adoramos ao Senhor com alegria, festejamos, dançamos, tudo é uma grande celebração. Mas quando os dias nebulosos chegam, parece que com eles também chegam o desânimo, a tristeza, o nosso brilho no olhar se vai, nos sentimos fracos e esquecemos de celebrar. Por vezes pensamos que Deus está distante de nós e que estamos sozinhos. Carregamos o peso das preocupações e da nossa ansiedade de saber quando as nuvens sumirão.

     Esquecemos que, como citei acima, Ele também fala em dias nebulosos. Deus jamais nos abandona. nós não conseguimos enxergar o céu azul e o sol, mas eles ainda estão lá a despeito da grande cortina de nuvens. Não é porque não O enxergamos, que Ele não está cuidando de nós e falando conosco. É que, por acharmos que tudo está obscuro, endurecemos nosso coração e embaçamos nosso olhar. Realmente, assim fica muito difícil de ouvirmos e vermos qualquer coisa vinda do Senhor.

     Meu desejo é que não nos esqueçamos de quem está no controle de tudo mesmo quando não conseguimos ver.

"Deixem com ele todas as suas preocupações e ansiedades, pois ele está sempre cuidando de vocês"
1 Pedro 5:7


Na paz de Jah.
Marcadores: , 5 comentários | | edit post
Reações: